slogan

7º etapa da VoltaÉ do alto transmontano, a 1000 metros de altitude, que parte a sétima etapa da 80ª Volta a Portugal Santander.

As muralhas medievais do secular castelo em Montalegre vão assistir ao início da tirada barrosã.

Nos primeiros quilómetros, a albufeira do Alto Rabagão será um cenário convidativo a altas velocidades e depois, já em território do Parque Nacional de Peneda-Gerês, vão surgir as dificuldades. O final de etapa, após 165,5 Km, será na cidade atlântica mais ao Norte de Portugal, Viana do Castelo. A meta será no monte de Santa Luzia, 500m acima do Rio Lima, que banha a capital do distrito minhoto. A subida final é um Prémio de Montanha de 3ª Categoria. Joaquim Gomes, o diretor da prova avisa: "irá exigir redobrada atenção e obviamente exigência e disponibilidade física aos principais candidatos".

Domingos Gonçalves bem se tem mostrado nesta 80ª Volta a Portugal Santander com ataques que tanto o caracterizam, mas foi em Boticas, no fim da sexta etapa, esta quarta-feira, que finalmente conseguiu concretizar uma intenção muito particular e um dos objectivos da Radio Popular-Boavista: vencer uma etapa na prova que mais visibilidade dá às equipas nacionais. Numa das etapas mais complicadas da Volta, que teve vento para dificultar ainda mais, o ritmo foi veloz desde o início em Sernancelhe, vila que se estreou a receber a Volta a Portugal em bicicleta. A W52-FC Porto tudo fez para controlar possíveis ataques de longe, neste regresso após o dia de descanso. Na frente andou uma fuga composta por 11 homens, entre eles o anterior líder Rafael Reis (Caja Rural-Seguros RGA) mas nada que preocupasse o pelotão.

Ao chegar às últimas dificuldades do dia, a subida de primeira categoria para a aldeia de Torneiros um a um os fugitivos foram apanhados. Tinha chegado o momento das figuras da Volta assumirem a corrida. O sexteto que lidera a classificação veio para a frente e ganhou alguma vantagem a um pelotão já muito esfrangalhado. Xuban Errazkin (Vito-Feirense-Blackjack) que veste a Camisola Branca RTP da juventude aproveitou a marcação cerradíssima entre Alarcón, Joni Brandão (Sporting-Tavira), Vicente García de Mateos (Aviludo-Louletano-Uli) e Edgar Pinto (Vito-Feirense-BlackJack). João Benta (Rádio Popular-Boavista) tentou perseguir Errazkin mas nem um nem outro conseguiram grande espaço e foi um ataque decidido de Domingos Gonçalves, a 13 quilómetros da chegada, que resolveu a questão da etapa. À linha de meta chegou com 20 segundos de vantagem sobre o primeiro grupo do pelotão. "É uma vitória importante para mim e para a equipa. A camisola amarela não vai ser para mim. Estou longe. Temos um candidato, que é o João Benta e vai passar mais por ele", referiu o Campeão Nacional de fundo e contrarrelógio garantindo que a Radio Popular-Boavista vai tentar mais triunfos nos próximos dias. Para o comandante Raúl Alarcón, que além da Camisola Amarela Santander também acumula a Azul Liberty Seguros da Montanha, e para a W52-FC Porto, esta sexta etapa com 165,5 quilómetros acabou por decorrer de forma satisfatória, como admitiu o espanhol que mantém a liderança com 52 segundos sobre Joni Brandão. Ainda assim admitiu: "Vai haver discussão até ao fim." Vicente García de Mateos continua terceiro e com a Camisola Verde Rubis Gás, dos pontos. O Sporting-Tavira continua agarrado à liderança colectiva.

PODCAST-RRB-BUTTON

Publicidade

Caminho de Emaús na RRB

Caminho de Emaús