slogan

Trial 4x4 em ChavesChaves estreou-se no Campeonato Nacional de Trial 4x4 com nota positiva.

A receção à comissão organizadora e equipas foi em grande estilo, à maneira transmontana, e a nível desportivo o Clube Motard de Chaves também superou as expectativas. A organização trabalhou bem na divulgação da prova, inclusive do lado espanhol e conseguiu também angariar várias equipas da região e até uma equipa espanhola. A pista, maioritariamente artificial, agradou muito às equipas e apresentou-lhes grandes desafios. Por quase 3000 metros de percurso, havia subidas acentuadas, quebra molas,valas, pneus, rampas, troncos, pedras, desencontro de eixos mas também alguma velocidade. No Mercado Abastecedor da Região de Chaves, na aldeia de Outeiro Seco, a cerca de 5Km do centro da cidade de Chaves o público também compareceu e a 10 de maio, no recintodesportivo, estiveram perto de 5 mil pessoas. O número 3 deve ser de sorte para Domingos Diniz (Revi-clap). É que o piloto de Vagosvenceu a 3.ª prova de 2014 e agora venceu em Chaves... precisamente a 3.ª prova de 2015. O experiente piloto aposta sempre na regularidade gerindo muito bem o Suzuki Jimny. Em Chaves fez metade da prova sem bloqueios devido a uma falha do compressor, o quedificultou o trabalho em 2 obstáculos. Terminou as 3 horas com 16 voltas à pista. Flávio Gomes (TáBô Team 4x4), de Bragança, era o favorito a vencer esta etapa já quecorria em terras transmontanas, mas começou com o pé esquerdo ao fazer falsa partida. Com a volta de penalização precisava de vencer com alguma vantagem mas teve condicionamentocom o Jeep Wrangler durante metade da prova e não foi além da prata. Apesar de não terconseguido a vitória, nas contas da geral, Flávio Gomes continua a ser o líder isolado da Classe Absoluto. A completar o pódio está Pedro Alves (Monstter.pt) que estava a fazer uma excelente prestação, sempre na cola do líder até que, a 1 hora do fim da resistência, partiu a transmissão traseira do Land Rover Defender, fez o resto da prova só com tração à frente e caiu para 3.º.

Com grandes máquinas e pilotos muito experientes, a expectativa sobre a classe XL é sempre muita. Em Chaves, houve trocas constantes na liderança, mas no final das 3 horas de resistência, foi Luís Jorge (peçaslandrover.com) a levar o ouro para casa. O piloto, que já foi bicampeão nacional (na classe absoluto em 2012 e 2013), optou por gerir na primeira metade da prova e atacou na segunda parte. Quem seguia na sua frente era Carlos Rodrigues (Valvolinas/XS5/Leirilumen), vencedorde Valongo e segundo classificado de Torres, que tem dado muitas dores de cabeça à concorrência. O piloto faz a primeira época no CNTrial 4x4, mas tem experiência namodalidade e passou grande parte da prova de Chaves na liderança. Foi penalizado em umavolta por desrespeito pelo comissário e caiu para segundo. Ainda assim, Carlos Rodrigues continua a ser o líder da classificação geral, com 11 pontos de vantagem sobre Rui Querido. António Henriques (Mister Reboques), que também faz a primeira época no nacional tem conseguido bons resultados. Em Chaves sofreu com algumas avarias no Wrangler XS5 eterminou a 4 voltas dos primeiros classificados. À semelhança de Valongo, Ricardo Lourenço (Pizzaria Refúgio) teve vida facilitada emChaves. Óscar Barroso (Mat Barroso 4x4), de Carrazedo de Montenegro aproveitou o facto dese realizar uma prova do nacional muito perto de casa para experimentar a competição, master terminou com apenas 1 volta, bem longe das 6 dos irmãos Lourenço. Com 3 vitórias Ricardo Lourenço é líder isolado da Super Proto e pode sagra-secampeão já na próxima etapa. António Silva (Canelas Pneus), campeão em título desta categoria, foi o grande vencedor da etapa de Chaves. Depois de duas primeiras provas difíceis, em Chaves também teve adversidades com o motor no Nissan Patrol GR logo de manhã, mas à tarde disputou as 2 horas de resistência sem paragens. Viu a bandeirada xadrez depois de completar 9 voltas, em 1 hora, 49 minutos e 24 segundos. Com mais uma volta chegou Hugo Tenreiro (Mister Reboques 2) que se estreou em Torres Vedras com um 8.º lugar. Já em Chaves nem os problemas com a embraiagem o impediram se conquistar a prata. Bronze para Luís Duarte (Gouvyas Team) a quem a época de 2015 não tem corrido nada bem. Em Valongo não pontuou e em Torres Vedras terminou em último. Em Chaves subiu finalmente ao pódio apesar do "verdadeiro calvário" que foi a resistência.      

                                                                                                                                     (fonte-CNT 4x4)

PODCAST-RRB-BUTTON

Publicidade

Caminho de Emaús na RRB

Caminho de Emaús

Clube de Amigos RRB

Clube de Amigos