slogan

2ª edição do Festival Internacional de Guitarra decorre em GuimarãesA segunda edição do Festival Internacional de Guitarra de Guimarães (FIGG 2015), que decorre de 26 a 29 de dezembro, pretende apresentar a "música como janela para o cérebro" desdobrando-se em concertos, um concurso e conferências.

No total a Sociedade Musical de Guimarães, responsável pelo evento em parceria com a Câmara Municipal, estima a participação de cerca de centena e meia de guitarristas nas várias rubricas que compõem o festival, entre as quais o II Concurso Internacional de Guitarra "Cidade de Guimarães", que reúne um júri nacional e internacional de 11 músicos. "A oferta formativa esgotou em pouco tempo, o que demonstra que as escolas continuam a promover e a privilegiar a participação ativa dos seus alunos neste tipo de eventos. Apesar da instabilidade financeira em que a maioria delas se encontra, causada pelos constantes cortes e atrasos nos financiamentos. O ensino artístico dá mais uma prova de vida", referiu o diretor artístico do II FIGG 2015, Nuno Cachada. O também docente e guitarrista avançou que "depois de uma primeira edição focada na vertente formativa e pedagógica que colheu elogios quer de especialistas da área, quer de admiradores em geral", o festival volta com um programa mais alargado para "continuar a potenciar uma nova atitude de aproximação à guitarra clássica, instrumento ainda pouco divulgado como instrumento solista". Além do concurso, com cinco concertos e seis conferências, a organização pretende, ao longo de quatro dias, "marcar a rota nacional e internacional de festivais e eventos dedicados à guitarra clássica".

Espaços para Todos

Portugal, Espanha, Uruguai e Alemanha são alguns dos países representados, estando confirmada a presença do alemão Hubert Käppel, do hispano-uruguaio Ricardo Barceló e dos portugueses Pedro Rodrigues, QuarTASTO e Rui Vilhena e Ricardo Coelho. Nesta segunda edição, o FIGG 2015 tem como novidade a realização de um ciclo de conferências tutelado pelo Centro de Estudos e de Investigação Musical da Sociedade Musical de Guimarães, em parceria com o Departamento de Neurociências da Universidade do Minho (UMinho) que explorará o tema "A música como janela para o cérebro". "O objetivo é apresentarmos evidências científicas de como o estudo do impacto da música no cérebro poderá levar a uma melhor compreensão sobre o seu funcionamento", descreveu o investigador da UMinho, Tiago Gil Oliveira. Serão vários os espaços de Guimarães, que acolherão os eventos, nomeadamente o Centro Cultural Vila Flor, a Plataforma das Artes e Criatividade e o Paço dos Duques de Bragança. Este último foi mesmo alvo de um projeto-piloto do portal de comunicação dedicado à área da deficiência Plural&Singular e da plataforma Places4all (em português 'Espaços para Todos') com a finalidade de tornar o FIGG 2015 "acessível" a pessoas com mobilidade reduzida, descrevendo as condições de acessibilidade às duas performances musicais agendadas para essa sala de concertos.

18ª Aniversário RRB

18º Aniversário RRB

Publicidade

Madrugar

Madrugar

Clube de Amigos RRB

Clube de Amigos

Este site usa cookies. Ao continuar a navegar no site você concorda com a utilização de cookies. Politica de cookies