slogan

Violas no Palácio de São Clemente, Rio JaneiroA instalação de arte "A Beleza Que Não É Só Minha" de Cristina Rodrigues estreou no Rio de Janeiro, no Palácio de São Clemente, no passado dia 10 de Novembro.

Composta por 25 Violas Amarantinas, também conhecidas por violas de Dois Corações, a instalação de arte foi muito bem recebida na capital carioca. As violas, normalmente apresentadas em madeira envernizada, foram lacadas de branco e cobertas com desenhos de narrativas no feminino executados à mão pela própria artista. Entre os magníficos e detalhados desenhos surgem frases que ilustram realidades portuguesas: "Casa onde não há pão não há sossego."; "O pão nosso de cada dia nos dai hoje."; "Educação é liberdade." e "Sou o produto e o destino de toda uma geração. Não tenho pão mas aprendi a escrever. A minha avó não sabia ler." A Viola amarantina é originária de São Gonçalo, no Concelho de Amarante, em Portugal. No Brasil, São Gonçalo é um dos Municípios mais populosos do Estado do Rio de Janeiro. O Rio de Janeiro é uma das cidades mais belas do mundo e a sua paisagem há muitos séculos que inspira músicos, poetas e outros artistas, tendo-se tornado numa das cidades mais reconhecidas a nível mundial pela sua cultura e paisagem natural. A artista tem vindo a fomentar, através do seu trabalho, uma reflexão política e consciência social em torno de questões como o acesso à cultura em territórios de baixa densidade demográfica. Ao trabalhar diretamente com mulheres da comunidade rural, Cristina Rodrigues contribui, simultaneamente, para a redução das desigualdades sociais e regionais, bem como para a democratização no acesso à cultura. Assim, o Palácio de São Clemente, um dos edifícios mais icónicos do Rio de Janeiro, que foi construído na década de 1950 como sede da Embaixada de Portugal no Brasil, é a casa ideal para receber a sumptuosa instalação arte contemporânea "A Beleza Que Não É Só Minha". Esta mostra foi organizada com o especial apoio do Consulado Geral de Portugal no Rio de Janeiro, do Município de Amarante e do Arte Institute. Depois do Rio de Janeiro a artista está a preparar a sua tour para 2016, que terá início em Sevilha. De referir que a artista plástica tem vindo a desenvolver vários trabalhos com o apoio do Município de Amarante, nomeadamente "A manta amarantina", inspirada nas mantas tradicionais de Amarante, que, ainda hoje, continuam a fazer-se em algumas freguesias do Município, como Bustelo e Fridão. Ainda em Amarante, a artista Cristina Rodrigues construiu, no seu ateliê situado num espaço anexo ao Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso, "A Gaiola", composta por 25 violas amarantinas de cor marfim, desenhadas à mão.

PODCAST-RRB-BUTTON

Publicidade

Caminho de Emaús na RRB

Caminho de Emaús

Clube de Amigos RRB

Clube de Amigos

Este site usa cookies. Ao continuar a navegar no site você concorda com a utilização de cookies. Politica de cookies