slogan

Pormenor Visita às exposições no Museu Municipal"A nossa bela terra de Amarante é rica em personalidades distintas. São muitas. São muito diversas e são riquíssimas. E cujo nome, em muitos casos - e com um naturalíssimo destaque para o enorme Amadeo – ultrapassam as fronteiras do país e cuja grandiosidade nos promove de forma inigualável um pouco por todo o mundo" - José Luís Gaspar discursava na Sessão Solene de entrega dos Prémios Amadeo.

Na 10ª edição do prémios, o  júri atribuiu o Prémio Amadeo de Souza-Cardoso a Pedro Sousa Vieira, com a obra "O caminho íngreme que conduz até à pegada de Buda"; o Prémio de Aquisição do Grupo de Amigos da Biblioteca-Museu a Tiago Baptista, pela obra "Pas de Lumière". Alberto Carneiro foi, por sua vez, o artista consagrado com o "Grande Prémio Amadeo de Souza-Cardoso".Na entrega de prémios que aconteceu no passado sábado, o edil salientou, ainda, que a cidade de Amarante "é, realmente, uma terra singular. Não temos necessidade de reinventar histórias, criar cenários, figuras e outros espetáculos para ter pontos de interesse e de atração. A nossa terra tem um património imaterial que lhe permite, por exemplo ter dois prémios de prestígio: um nas artes plásticas e outro na literatura. Devemos sentir um profundo orgulho na nossa história e nas nossas gentes". E continuou: "Porque quando começamos a analisar as personalidades da nossa terra, percebemos que os dedos das duas mãos não chegam para as contar; e quando começamos a aprofundar os seus percursos, reparamos que a sua dimensão é extraordinária". Na sua intervenção, José Luís Gaspar relevou ainda um dos investimentos do Município na área cultural: "o nosso Amadeo irá, no próximo ano regressar, através das suas obras - as da nossa coleção permanente e as que fazem parte da coleção da Gulbenkian -, à cidade que o viu crescer como artista e que tanto apreciava: Paris, a cidade luz! Num justíssimo tributo, Amadeo de Souza-Cardoso terá uma exposição de grandes dimensões, num dos mais notáveis e ambicionados palcos do mundo – o Grand Palais. Este vai ser, sem dúvida, um grande momento de projeção mundial, de Amadeo, de Amarante e do nosso país". Os artistas vencedores elogiaram em uníssono o Prémio Amadeo de Souza-Cardoso, exaltando o impacto deste Prémio no panorama cultural português. Para os três artistas o Prémio constitui um estímulo e um incentivo para que continuam a trabalhar. Depois da cerimónia de sessão solene que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho, seguiu-se a inauguração da exposição. O momento ficou marcado por uma performance do Filandorra – Teatro do Nordeste com o espetáculo/performance "Amadeo e o mundo às cores", encenado com base na obra homónima de José Jorge Letria. Ainda no decorrer da inauguração da exposição alguns solistas da Orquestra do Norte ofereceram um "mini-concerto" aos presentes. De periodicidade bienal, o Prémio Amadeo foi reinstituído pela Câmara de Amarante em 1997, no âmbito das comemorações do cinquentenário da fundação do Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso. As exposições estarão patentes ao público até ao dia 28 de fevereiro de 2016.

Presidente da Câmara Municipal entregou Grande Prémio

Publicidade

Madrugar

Madrugar

Caminho de Emaús na RRB

Caminho de Emaús

Clube de Amigos RRB

Clube de Amigos

Este site usa cookies. Ao continuar a navegar no site você concorda com a utilização de cookies. Politica de cookies